Travel Stories

VIETNAM AND LAOS
2015

In May 2015, I went on my first solo trip to Vietnam and Laos. This trip ended up completely changing my life and my priorities.

In change there is power!

… e já está. Bilhetes na mão para 2 semanas a solo no Vietname e Laos! Uma decisão tomada à pressa, como tem de ser para uma aventura assim. No espaço de uma semana decidi tirar 2 semanas de férias, comprar 1 bilhete de avião e partir numa aventura a solo com destino ao Vietname

Dia 1. Enganaste-me bem, Hanoi…!

Dia 1. Enganaste-me bem, Hanoi…! E aqui estou eu, após 17 horas em viagem, em Hanoi, no Vietname. Primeiras impressões: o caos é rei, o ambiente (embora muito movimentado) é de uma tranquilidade e despreocupação total. Centenas de motas preenchem as estradas da cidade todo o dia. As estradas, os passeios… Em contramão… A ignorar completamente quaisquer

Dia 2. Beautiful Sapa!

Dia 2. Beautiful Sapa! O dia de ontem acabou com um jantar na Homestay com todos os viajantes que lá estavam alojados. Juntaram-se a 1 mesa 2 casais norte americanos, um mais novo e o outro com os seus 60 anos cujo principal trabalho passava por escrever artigos pelo mundo fora; um casal do Quebéc,

Dia 3. Próximo capítulo.

Dia 3. Próximo capítulo. Ontem à noite, acordei às 2 da manhã com o barulho de um dos maiores temporais que já presenciei. Chuvas fortes e trovoada de meia noite ameaçavam o trekking que se esperava para hoje. De manhã o sol brilhava, o calor já se fazia sentir e ninguém diria que aquele temporal tinha

Dia 4. O dragão que desce para o mar.

Dia 4. O dragão que desce para o mar A viagem de comboio ontem à noite de Sapa para Hanoi foi partilhada com 3 mulheres vietnamitas, 1 bebé e 1 miúdo de 7 anos. E correu melhor que a outra. Pelo menos consegui efectivamente dormir durante a maior parte da viagem. Chovia a potes quando

Dia 5. Até já Hanoi!

  Dia 5. Até já Hanoi! Um passeio a um viveiro de ostras e um almoço depois e estávamos de volta a Hanoi. Em conversa com o guia no autocarro fiquei a saber que as mulheres, na cultura vietnamita em geral, sempre ocuparam um papel muito importante sendo responsáveis pela casa, filhos e pelas finanças familiares.

Dias 6 e 7. Hoi An e a promessa de aventuras.

Dias 6 e 7. Hoi An e a promessa de aventuras. Cheguei a Hoi An no dia 18. À chegada, como prometido, tinha o tio da Perfume à minha espera. Thang de seu nome, mas mais conhecido por Mr. T. Antes da boleia fez questão que nos sentássemos num cafezinho ao lado do aeroporto e ofereceu-me

Dia 8. Motas, natureza e aventuras.

Dia 8. Motas, natureza e aventuras. O dia de hoje foi no mínimo… diferente. Fui apanhada às 9h pelo Lai,  filho do Mr. T dos Easy Riders, na Guesthouse em Hoi An. Fiz o check-out, pus o capacete e lá parti eu, à pendura numa mota, à descoberta de um pedaço do verdadeiro Vietname fora das

Dia 9. O último capítulo!

 Dia 9. O último capítulo! Alvorada às 7 da manhã, pequeno almoço tomado e pronta para deixar Prau em direcção ao aeroporto de Danang. O Aviel lá decidiu que seria mesmo melhor ir até ao hospital em Danang para que lhe pudessem ver o pulso e confirmar se estava mesmo partido. Não teve grandes melhorias

Dia 10. Luang Prabang.

Que contraste entre o Vietname e o Laos. Aqui em Luang Prabang não existe o caos que se sente nalgumas cidades do Vietname, o ambiente é descontraído e tudo acontece bem devagar. Os tuk tuks estão por todo o lado, e é normal sermos abordadas 30 vezes por dia com “Waterfall? Cave? Tuk tuk?” Mas

Dias 11 e 12. A arte do dolce fare niente e o último dia.

Nunca passei tanto tempo no mesmo sítio sem fazer nenhum, como passei no Utopia este Sábado. Depois da noite anterior de bowling até às 2 da manhã, acompanhada por algumas Beer Laos, aguardava-me (como seria de esperar) um belo dia de “lanzeira” e alguma dificuldade em levantar o rabo dos colchões do Utopia. Cheguei às

Dias 13 e 14. Vang Vieng.

Chegada a Vang Vieng, dirigi-me à Guesthouse onde a Marjoleine e o Salvador já estavam alojados. Não tinham mais quartos single disponíveis, pelo que teria de ficar no quarto da Leine que tinha camas twin. Nao estava a conseguir falar com ela para confirmar se podia ou não partilhar quarto com ela. Mas sem problema,

Dia 15. On the road again.

O último dia em Vang Vieng é passado na piscina do hotel onde o Stod e o Randy estão hospedados. Imaginávamos um dia tranquilo, zen, a aproveitar os últimos cartuchos nesta cidade. Após 1 hora e meia de sossego, começam os ataques de ansiedade. Eis que chega um grupo enorme de party animals que tinham

Dias 16 e 17. Kong Lor Cave e o início da despedida.

Dias 16 e 17. Kong Lor Cave e o início da despedida. Kong Lor é uma pequena aldeia, no meio de nenhures, cujo únicos atractivos são mesmo a Kong Lor Cave que fica a 1,5km de distância, as paisagens lindas de morrer que a rodeiam e a simpatia dos locais. Depois de uma noite sem

Saudades.

Saudades. Depois de 2 dias inteiros em viagem, cheguei exausta a Lisboa. À saída do aeroporto fumo um cigarro comprado no Laos e percebo agora porque foi tão barato… Mas faz-me pensar que ainda estou lá, por isso fumo-o até ao fim. Chego a casa. Tempo de tomar um banho decente, trocar mensagens com amigos,

SINGAPORE, MALAYSIA AND INDONESIA
2015

In August 2015, right after quiting my 4 year old corporate job, I embarked in what would be my second solo trip and the beginning of a brand new life for me. Singapore, Malaysia and Indonesia were part of the itinerary and, once again, it was an amazing experience.

De volta à Ásia!

Dia 31 de Julho de 2015: o dia em que iniciei um novo capítulo na minha vida. Escolhi a felicidade em vez da estabilidade. A mudança em vez da segurança. Há quem perceba a minha decisão, há quem ache que eu deveria ter pensado melhor. Eu tenho a certeza que dei o melhor passo que poderia

Véspera da partida. | Departure’s Eve.

E é já amanhã, às 15h25, no momento em que entrar no avião da Turkish, que acaba este nervoso miudinho que tenho vindo a sentir de forma incessante e bem pronunciada nos últimos dias. As borboletas continuarão aqui dentro durante toda a viagem, até ao dia 08 de Setembro, dia em que volto a casa,

Dia 1, 2 e 3. Primeira paragem: Singapura

Primeira paragem: Singapura Parto de Lisboa às 15h45 rumo a Istambul pela Turkish Airlines, de onde depois saio à 01h20 para o meu destino final: Singapura. De Lisboa para Istambul consigo o lugar perfeito para o meu 1,80m: junto às saídas de emergência. Estico as pernas, cruzo-as, quase não preciso de me levantar para deixar

Dias 4 e 5 | Malacca, a terra dos tuk-tuk tuning.

Malacca, a terra dos tuk-tuk tuning. No autocarro a caminho de Malacca travo conhecimento com o meu novo companheiro de viagem dos próximos dias. Chama-se Melvin e é um holandês de 27 anos a viajar pela Tailândia, Singapura e Malásia. Um miúdo porrreiro. As 4 horas de viagem são interrompidas apenas 2 vezes por uma

Dias 5, 6 e 7 | Kuala Lumpur e as Batu Caves

Kuala Lumpur e as Batu Caves Aproveito as viagens para escrever estes posts, pelo que nem dou pelo tempo a passar. As 2 horas de autocarro de Melacca para Kuala Lumpur passam a correr e rapidamente me vejo na capital, na estação central. Não conheço ainda a rede de transportes, pelo que prefiro apanhar um

 Dias 7, 8 e 9. | George Town. Três dias na cidade que respira arte.

George Town, Malásia. Três dias na cidade que respira arte. Chego ao aeroporto da ilha de Penang e apanho um autocarro que me deixa na estação central de George Town, de onde saio de táxi para o meu hotel. Desta vez fiquei num dormitório misto, no Magpie Residence. Pago cerca de 8€ por noite e

Dias 9, 10 e 11 | Yogyakarta. O bom feeling chamado Indonésia.

Yogyakarta. O bom feeling chamado Indonésia. Às 13h30 aterro no aeroporto de Yogyakarta na Indonésia. À minha espera tenho o Daniel, o dono da homestay para onde vou (Rumah Zen), que me dá boleia de scooter. A mim e à minha mochila de 8kgs. A viagem não é muito simpática… Para além dos 8kgs às

Dias 13 e 14 | Improvisos em Ubud, Bali.

Improvisos em Ubud, Bali. Acordo às 5h30 da manhã para estar pronta às 6h, hora a que chega o táxi para me levar para o aeroporto. O meu avião parte às 7h15 rumo a Dempasar, Bali, de onde sigo depois para Ubud. Às 6h estou pronta e nada de táxi. 6h10 e ainda nada de

Os últimos dias em Ubud. Próxima paragem: Amed.

Os últimos dias em Ubud. Próxima paragem: Amed. Os últimos dias em Ubud são passados a visitar mais alguns templos a cerca de 30 kms, um lago junto ao Mount Batur (vulcão) e a descobrirmos o Arak (esse perigo de bebida feito a partir de côco, com um teor alcóolico já algo considerável…).Partimos em busca

A despedida. Até breve Ásia!

Chego a Amed cerca de 3 horas depois de sair de Ubud, às 14h30. No autocarro acabo por conhecer o Jean Louis, um belga de 55 anos que viaja pelo mundo há 25 anos. Um homem com uma história de vida interessantíssima e cheia de histórias para contar. Passamos as 3 horas a conversar e

3 MONTHS - SOUTHEAST ASIA
2016

In March 2016, I departed from Lisbon headed to Bangkok for a 3 month adventure through Southeast Asia. Another memorable experience that just made me more sure of the path I want my life to follow.

3 Meses de viagem pelo Sudeste Asiático| O início.

3 Meses pelo Sudeste Asiático| O início. Até há bem pouco tempo, as minhas aventuras pelo mundo, por razões profissionais, não passavam das 3 semanas de duração. Em Agosto de 2015, altura em que me despedi de um emprego de 4 anos para fazer um reset à minha vida e dar-lhe um novo rumo, surgiu a

Bangkok e Ayutthaya: o regresso e a descoberta

Bangkok e Ayutthaya: o regresso e a descoberta Dia 2 de Março: após uma viagem quase interminável até Bangkok, principalmente pelo facto de a KLM (apesar de ser uma companhia holandesa) não ter em mente pessoas de 1,80, tendo assim passado quase 17 horas seguidas a praticamente comer os próprios joelhos… lá cheguei finalmente ao

Chiang Mai: o regresso ao Norte da Tailândia.

Chiang Mai: o regresso ao Norte da Tailândia. Passados 2 anos, voltei a Chiang Mai. Após 4 dias de Bangkok, esperava-me uma viagem no comboio nocturno para Chiang Mai. Saída às 22h com chegada às 12h, 14 horas de viagem ininterrupta portanto, com um bilhete comprado online por cerca de 800 bahts (mais ou menos €20).

Pai, o refúgio hippie do Norte da Tailândia.

Pai, o refúgio hippie do Norte da Tailândia. Já tinha ouvido falar da cidade de Pai antes. Chamavam-lhe o refúgio hippie do Norte da Tailândia. Uns elogiavam o seu ambiente descontraído e tranquilo e outros diziam que era uma espécie de pesadelo à la Khao San Road (Bangkok) pela quantidade de backpackers que por lá

O misticismo de Bagan

O Misticismo de Bagan Crónica de Viagem Mais  uma viagem de autocarro, a segunda desde que tinha chegado a Myanmar, e desta vez de quase 9 horas rumo a Bagan, um dos destinos mais procurados neste país, muito devido às famosas e magníficas fotografias de grandes balões de ar quente a sobrevoar milhares de templos

A surpreendente Mandalay.

A seguir a Yangon e Bagan, o plano de viagem delineado indicava Mandalay como o 3º destino em Myanmar. Ao fim de 4 dias em Bagan, estava na hora então de voltar à estrada. Bilhete comprado na banca de tours mesmo em frente ao Hotel. Desta vez a viagem já não seria feita num autocarro

Cronicas de Viagem | O inesquecível Inle Lake

O inesquecível Inle Lake Ao fim de 3 dias em Mandalay estava na hora de seguir para o próximo destino em Myanmar: Inle Lake. O autocarro partia às 21h30 do terminal de autocarros e, apesar de ter saído do hotel com 2 horas de antecedência para garantir que chegava ao terminal com tempo, o trânsito

%d bloggers like this: