Kuala Lumpur e as Batu Caves

Aproveito as viagens para escrever estes posts, pelo que nem dou pelo tempo a passar. As 2 horas de autocarro de Melacca para Kuala Lumpur passam a correr e rapidamente me vejo na capital, na estação central. Não conheço ainda a rede de transportes, pelo que prefiro apanhar um táxi até ao meu hotel, o Paloma Inn Hotel.

Confesso que estou muito cansada e que o que devia mesmo fazer era dormir por umas 2 horinhas… Mas não há tempo a perder! Pouso a mochila no dormitório de 4 camas que hoje terei de partilhar com apenas outra pessoa e ponho-me a andar para a zona de Chinatown, uns metros abaixo do meu hotel.

A minha primeira impressão de Kuala Lumpur não é a melhor, confesso.

Dei por mim a dizer algumas vezes “Detesto esta cidade”. Sente-se bem a poluição, o trânsito é intenso sem qualquer respeito pelos peões (apesar de este ponto não ser novidade no sudeste asiático), e de uma forma geral não me senti segura a andar nas ruas sozinha como me senti em todos os outros lugares por onde andei.

Encontro-me com o Melvin em Chinatown e vamos dar uma volta pelas redondezas. Perdemos-nos no Petaling Street Market. Um mundo de malas, relógios e roupa falsificada e comida de rua variada e para todos os gostos, por onde é necessário movimentarmos-nos por corredores onde só passa 1 pessoa de cada vez dado o elevado número de bancas que ali existem. Como uma espécie de pão doce recheado com um estufado de porco e de repente Kuala Lumpur começa a não parecer tão má. Um pouco mais à frente atiro-me de cabeça para umas espetadas de peixe e marisco e afinal até é uma cidade aceitável.

O dia acaba cedo e volto para o meu hotel para um merecido descanso onde conheço a minha única companheira de quarto: uma japonesa que apesar de simpática, não é de muitas conversas. Amanhã é outro dia.

Segunda-feira acordo bem cedo para tentar ser uma das primeiras pessoas a chegar às Batu Caves, um famoso templo hindu perto de Kuala Lumpur. Apanho o comboio das 8h30/8h45 e chego passados 30 minutos. Imaginava que ficasse um pouco mais afastado do comboio, mas mal saio da estação dou de caras com a entrada. E mal ponho um pé lá dentro, começam os “wow…”. Duas estátuas com as imagens de divindades hindus ocupam a visão mal se entra. Uma à entrada do recinto, e outra no fundo das escadas de acesso à gruta.

272 degraus esperam-me até à entrada da gruta. Pelo caminho somos observados por dezenas de macacos que procuram algo para comer. E não têm problemas em tirar comida à força se necessário. Não são bichos muito simpáticos. Ao tirar uma fotografia um pouco mais perto, um deles mostra de imediato os dentes, deixando claro que achou o atrevimento de muito mau tom…

A gruta é de facto monumental e de ficar de boca aberta. É usada como local de adoração hindu, existindo uma série de pequenos altares onde, por alguns ringgits, é possível sermos abençoados por um monge. Não achei que precisasse de ser abençoada, mas ainda estive algum tempo a observar as pequenas cerimónias. Tudo é feito de forma quase automática. Não existe grande emoção ou dedicação naquilo. Sai um, entra outro. Sempre a despachar.

Descidas as escadas da gruta a fome aperta, pelo que é hora de um segundo pequeno almoço num dos restaurantes indianos da zona. Ai como eu gosto desta comida… É comida com as mãos, como deve ser e como sabe melhor.

As Batu Caves são riscadas da lista e segue-se o percurso até à KL Tower, uma torre de telecomunicações com 421m de altura, a 7ª mais alta do mundo.

Há que fazer um pequeno desvio durante o caminho para nos abrigarmos do temporal que de repente se abateu sobre Kuala Lumpur. Assim que a chuva abranda um bocadinho, avançamos em direcção à Torre. Tentamos cortar caminho entrando porta adentro de um edifício de escritórios como quem não quer a coisa, de forma a sairmos do outro lado. A meio, somos parados por um segurança. Estamos preparados para sermos acompanhados à saída mas, em vez disso, amavelmente nos diz que nos pode ajudar. Leva-nos no elevador até uma entrada do outro lado onde, para além de podermos comprar já os bilhetes para entrar na Torre, ainda temos direito a shuttle até lá acima. A chuva não nos deixou ter acesso à vista que habitualmente este edifício oferece mas ainda conseguimos ver alguma coisa. Outro riscado da lista.

Seguem-se as famosas Twin Towers, ou as “Petrona Towers“, como são vulgarmente conhecidas aqui. Não conseguimos subir até à zona de observação. É 2ª feira e está fechada. Sorte… Tiramos as fotos da praxe cá de baixo e seguimos rumo em direcção a Little India para jantarmos. Perdemos-nos algumas vezes pelo caminho e aparentemente os locais não fazem ideia do que seja a Little India… Mas lá chegamos.

Vemos uma banca de rua com as mais variadas comidas e ficamos-nos por ali. Não têm cerveja. “Somos muçulmanos” diz ela. Ah, raios. Bem, um sumo de laranja também serve.

A última noite em KL tem de ser celebrada com umas cervejinhas pelo que seguimos para Bukit Bintang, uma conhecida zona de restaurantes e bares na cidade. Assentamos poiso num bar irlandês chamado Healy Mac’s e venham de lá umas Tigers. A meio somos desafiados para participar na Quiz Night, um concurso de equipas com perguntas sobre os mais variados temas. É preciso pensar num nome para a nossa equipa. Hummm… Uma portuguesa e um holandês… Só pode ser “Malacca”, a terra ocupada por portugueses e holandeses. Faz sucesso.

No final somos honrados com um bem merecido 2º lugar e presenteados com um balde de 5 Budweisers em gelo. Parece que a noite afinal ainda dura mais um bocadinho! Terminadas as Bud, paramos para um petisco numa das muitas barracas de comida de rua, antes de cada um seguir para o seu hotel.

É hora das despedidas. Até breve Melvin! Foste um óptimo companheiro de viagem 🙂

Quanto a mim, estou neste momento sentada no lugar 21F do avião da Air Asia rumo a Penang, mais a norte, de onde sigo para Georgetown. Uma criança chora desesperadamente, entretanto outra juntou-se à sinfonia. Um homem de longas barbas e a sua mulher de burka preta exigem às hospedeiras, até ao momento da descolagem do avião, serem mudados de lugar, e o volume da música ambiente foi colocado a um nível digno de qualquer bar ou discoteca. Ah, carambas… São estes momentos que fazem com que isto valha a pena…

Até já!

Kuala Lumpur

China Town

Kuala Lumpur

China Town

Kuala Lumpur

China Town

Kuala Lumpur

China Town

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

pequeno almoço

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Batu Caves

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

KL tower

Kuala Lumpur

KL Tower

Kuala Lumpur

Petronas Towers

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Kuala Lumpur

Gostaste do artigo? Então não te esqueças de deixar um comentário abaixo e de seguires o Joland através do Instagram e Facebook!

Este artigo poderá conter links de afiliados.

☆ Aproveita o desconto de 5% para seguidores do Joland na compra de um Seguro de Viagem IATI através deste link: Seguro de Viagem IATI ☆ 
➪ Planeia a tua viagem com estes links úteis

Alojamento:
Para reservas de alojamento uso sempre o Booking ou o AirBnb.

Reservar Voos:
Para encontrares os melhores voos para as tuas viagens recomendo o Skyscanner.

Seguro de Viagem:
Para te manteres segura em viagem recorre aos seguros da IATI Seguros* ou da World Nomads* aproveita o desconto de 5% nos seguros da IATI ao reservares através do link acima

Tours e Atividades:
Para reserva de tours e atividades em vários destinos recomendo a Get Your Guide

Alugar Carro:
Para alugar carro uso sempre a Rentalcars.com

Transportes
Para compra de bilhetes para transportes na Ásia recomendo o 12go.asia ou o Baolau

Autor

Nascida e criada em Lisboa, Portugal, mas apaixonada pelo mundo. Adoro partilhar as minhas histórias de viagem, fotografias e videos e aconselhar e inspirar quem partilha a mesma paixão pelas viagens!