São Tomé e Principe abanou o meu mundo. Por tantas razões que não sei se consigo enumerá-las aqui. Foi o meu primeiro destino em África e deixou-me totalmente apaixonada pelas suas paisagens de tirar o fôlego, praias decoradas com longas palmeiras tombadas sobre a areia, os sorrisos e o carinho das suas gentes, a delicia do seu peixe, marisco e frutas e pelo sentimento de paz com que me encheu a alma dia após dia que passei lá. Mas São Tomé não é para qualquer um. Quem lá vai tem de ir de espírito aberto, tem de se preparar para encarar cenários de pobreza e os vestígios de um tempo que deixou marcas quer a nível arquitetónico, quer a nível espiritual na vida dos seus habitantes. São Tomé entranha-se, mas só se deixarmos, se lhe abrirmos o coração por completo, “leve-leve”.

Abaixo encontras um Guia de Viagem sobre São Tomé e Príncipe recheado de dicas úteis, para que possas planear da melhor forma a tua primeira visita a este país maravilhoso.


Clica em cada um dos tópicos abaixo indicados para chegares mais rapidamente à informação que procuras. 


Localização 

São Tomé e Príncipe (ou República Democrática de São Tomé e Príncipe) é um arquipélago composto por 2 grandes ilhas (Príncipe e São Tomé) e vários pequenos ilhéus (ilhéu das Rolas, Ilhéu de Santana, Ilhéus Sete Pedras, entre outros). Está localizado no Golfo da Guiné, a cerca de 150 milhas das costas da Guiné e do Gabão, no continente africano.

A STP Airways tem voos diretos de Lisboa para São Tomé. A TAP e a TAAG também voam para São Tomé a partir de Lisboa mas com escala em Accra (Gana) e Luanda, respetivamente. Procurar voos para São Tomé.

⇑ Topo


História de São Tomé 

A descoberta
O arquipélago de São Tomé e Príncipe foi descoberto entre 1470 e 1471 pelos navegadores portugueses João de Santarém, Pêro Escobar e João de Paiva. Embora sem certezas absolutas, diz-se que se encontrava desabitado até então, sendo apenas um pequeno paraíso perdido no meio do Golfo da Guiné, cuja localização estratégica as viria a tornar em importantes portos para os portugueses.

A colonização
A colonização teve início a partir dos fins do século 15, tendo sido levados para as 2 ilhas padres, escravos africanos e cerca de 2000 crianças judias, e introduzida a cultura da cana-do-açúcar. Em 1822, com o declínio da cana-do-açúcar, são introduzidos o cacau e o café. Em 1900 São Tomé chegou mesmo a ser o maior produtor de cacau a nível mundial. A era áurea estende-se por cerca de 2 séculos, tendo sido criadas as famosas Roças (palavra que advém do conceito de “desbravar mato”, “abrir clareiras”), que se dedicavam à exploração agrícola, compostas por uma complexa estrutura que as tornavam auto-sustentáveis.

As roças e a escravatura
As grandes roças como a Roça Rio do Ouro (ou Agostinho Neto), a Água Izé ou a Roça Porto Alegre eram compostas por uma Casa Principal, as Sanzalas (onde habitavam os serviçais, as Habitações dos Encarregados, as estufas, os armazéns e os secadores. Algumas roças incluiam ainda um Hospital e edificios para educação e culto religioso. Algumas chegaram em tempos a atingir os 1000 habitantes. Estas grandes Roças estavam ligadas a outras pequenas roças que se chamavam “Dependências”,  destinadas a pequenas produções, a escoamento de produtos e expansão da área de influência da Roça principal. Durante séculos, a mão-de-obra das Roças foi composta por escravos. Em 1876 a escravatura é abolida e em São Tomé começam a ser feitos contratos de trabalho que se viriam a revelar totalmente abusivos e literalmente apenas “para Inglês ver”. A 3 de fevereiro de 1956 regista-se um dos mais trágicos acontecimentos de São Tomé: o massacre de Batepá, originado pela tentativa por parte dos patrões portugueses de forçar os São-Tomenses a trabalharem com condições precárias nas plantações e obras públicas. O massacre resultou em centenas de mortos.

A independência
Em 1960, o Comité pela Libertação de São Tomé e Príncipe dá início ao processo de independência do país. Em 1972 o Comité passa a denominar-se Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe (MLSTP). Após a Revolução de 25 de Abril, o Governo português começa a negociar a independência das colónias e a 12 de julho de 1975, São Tomé e Príncipe alcança a tão esperada libertação, tendo o MLSTP assumido o Governo do país como partido único. As primeiras eleições multi-partidárias só têm início em 1990.

⇑ Topo


Língua em São Tomé e Príncipe 

A lingua oficial em São Tomé e Príncipe é o português, sendo falada pela grande maioria da população. Existem no entanto outros dialetos como o forro (a língua das primeira geração nascida em São Tomé), o criolo cabo-verdiano, angolar e principiano.

⇑ Topo


Clima em São Tomé e Príncipe 

O clima em São Tomé é de tipo equatorial tropical, quente e húmido com temperaturas médias anuais entre os 22º e os 31º. A época seca decorre de junho a setembro, registando um tempo seco, menos calor e humidade. De outubro a maio regista-se a época das chuvas, com mais calor e mais chuva. Eu estive em São Tomé em dezembro e apanhei apenas um dia de forte chuvada, os restantes dias foram marcados por muito calor, muita humidade e vários momentos de céu completamente limpo.

São Tomé e Principe

⇑ Topo


Dinheiro em São Tomé e Príncipe 

A moeda oficial de São Tomé e Principe é a Dobra (vê taxa de câmbio aqui). Aconselho-te a levares uma boa quantia em euros contigo já que é impossível levantar dinheiro nos multibancos locais com cartões internacionais. Poderás trocar os euros por dobras no banco local (onde encontrarás uma melhor taxa de câmbio) ou junto dos vários cambistas que se encontram nas ruas do centro da capital. É só perguntares na rua onde podes trocar o dinheiro para rapidamente seres encaminhada para alguém que te poderá ajudar.

Preços médios (preços de dezembro de 2017):

  • 1 refeição num restaurante local: €6
  • 1 refeição num restaurante turístico: €15 
  • Aluguer de carro: €40 – €50 /dia
  • Litro de combustível: €1
  • 1 garrafa de água: €0,80
  • 1 cerveja Rosema (cerveja local): €1
  • Tarifa média de hotel: €80-€100

São Tomé e Principe

⇑ Topo


Visto para São Tomé e Principe 

Não é necessário visto para São Tomé e Principe no caso de estadias inferiores a 15 dias. Para estadias superiores, o visto temporário deverá ser obtido junto da Embaixada de São Tomé e Principe em Lisboa. É concedido com um prazo de validade de 30 a 180 dias, para uma ou mais entradas, devendo ser utilizado num prazo de 90 dias a contar da data de concessão.

O pedido de visto implica a obrigatoriedade de deter um passaporte com validade superior minima de 6 meses em relação à data de saída, uma fotografia tipo passe, o preenchimento de um formulário e o pagamento de uma taxa de €20 à saída do país. O visto é entregue num prazo de 5 dias úteis.

Embaixada de STP em Lisboa: Avenida 5 de Outubro 35, 4º Andar, 1050-047 Lisboa / tlf: +351 218 461 917

São Tomé e Principe

⇑ Topo


Transportes em São Tomé e Príncipe 

A melhor forma de te deslocares em São Tomé é de carro. Poderás solicitar os serviços de um guia que te levará a conhecer a ilha de carro, ou seja, com motorista (à volta de €80 por dia), ou então, se preferires ir mais à aventura e descoberta, alugar um carro para te deslocares à vontade e com total liberdade. Recomendo que alugues um bom jipe ou uma carrinha pick-up (entre €35 a €100 por dia) porque as estradas na ilha não são propriamente as melhores e alguns dos melhores sitios para visitar estão escondidos no meio da selva. Nós tivemos a sorte de poder usar a pick up de um amigo que se encontra lá a viver, mas abaixo deixo os contactos de algumas empresas de aluguer de carros em São Tomé.

Aluguer de carros em São Tomé e Príncipe:

⇑ Topo


Cuidados de Saúde em São Tomé e Príncipe 

A malária é praticamente inexistente hoje em dia em São Tomé, no entanto convém sempre prevenir e usar sempre repelente e/ou fazer a profilaxia da malária. Na Consulta do Viajante é habitual a recomendação da vacina da Hepatite A, Hepatite B e Febre Amarela. Os mosquitos não perdoam, especialmente ao amanhecer e entardecer. Para evitar distúrbios a nível de estômago e intestinos, convém tomares as precauções habituais como evitar frutas com pele, bebidas com gelo ou alimentos mal cozinhados, lavar as mãos com frequência, etc.

Um seguro de viagem é essencial, já que o serviço de saúde em São Tomé é bastante precário, assim como um kit de emergência médica (vê o artigo Consulta do Viajante e Cuidados de Saúde em Viagem para info mais detalhada).

⇑ Topo


Alojamento em São Tomé e Príncipe 

Abaixo encontras uma lista de alojamentos onde tive a oportunidade de ficar em São Tomé assim como outros que, apesar de não ter tido a oportunidade de experimentar, me foram bastante bem recomendados por outros viajantes.

Mucumbli Lodge

O primeiro hotel em que fiquei em São Tomé e sem dúvida alguma o mais memorável. O Mucumbli é composto por uma série de bungalows de madeira, com vistas fabulosas sobre o Oceano Atlântico. Está localizado no norte da ilha de São Tomé, em Ponta Figo.
Localização: Ponta FIgo, São Tomé | Reservas Mucumbli

Roça São João dos Angolares

Uma das poucas Roças recuperadas em São Tomé oferece também a possibilidade de lá ficares alojada num dos 6 quartos disponíveis. Os quartos estão muito bem decorados e aquele em que fiqui tinha acesso a um terraço com uma vista incrível sobre a zona envolvente. A Roça de São João, propriedade do cozinheiro João Carlos Silva (do famoso programa de tv “Na Roça com os Tachos”), tem ainda um restaurante com menus de desgustação deliciosos e uma galeria de arte.
Localização: São João de Angolares, São Tomé | Reservas Roça São João

Hotel Praia Inhame EcoLodge

O Hotel Praia Inhame Eco Lodge está localizado (como o nome indica) na Praia Inhame, no Sul de São Tomé. Foi o local escolhido para os ultimos dias passados em São Tomé. É composto por uma série de bungalows de madeira, muito confortáveis e foi o local onde vi pela primeira vez uma tartaruga a desovar! Recomendo em especial os bungalows que ficam cá em baixo junto à receção e à praia!
Localização: Praia de Inhame, Porto Alegre, São Tomé | Reservas Hotel Praia de Inhame

Outros hotéis recomendados:

Hotel Miramar by Pestana (4*):
Localização: São Tomé (capital) | Reservas Hotel Miramar

Omali São Tomé (4*):
Localização: São Tomé (capital) | Reservas Omali São Tomé

Club Santana Beach & Resort
Localização : Santana, São Tomé | Reservas Club Santana

Bom Bom Resort
Localização: Ilha do Príncipe | Reservas Bom Bom Resort

Jalé Eco Lodge
Localização: Praia Jalé, Porto Alegre, São Tomé | Reservas Jalé Eco Lodge

⇑ Topo


Onde comer em São Tomé e Príncipe 

O dinheiro pode faltar em São Tomé, mas a comida cresce em abundância nas árvores e no mar. A enorme variedade de peixes existente é impressionante: em qualquer lugar da ilha é possível encontrar peixe de excelente qualidade, cozinhado de forma irrepreensível. Finalmente encontrei um outro lugar no mundo onde sabem cozinhar peixe  tão bem como em Portugal! Como acompanhamento é frequente receber fruta-pão e banana-pão fritos. As frutas são igualmente deliciosas: jaca, fruta-pão, banana, goiaba, manga, papaia, entre outros. A comida é sem dúvida um dos pontos altos da viagem, especialmente para quem procura evitar a carne a todo o custo como eu. Abaixo encontras alguns restaurantes a que tive oportunidade de ir e que recomendo.

Mucumbli

São Tomé e Principe

foto de C. Azevedo

O restaurante Mucumbli é irrepreensível tanto a nível de comida (em especial o caril de camarão e búzios) como a nível de vista (ai aquela vista…). É o restaurante do resort com o mesmo nome, onde ficámos alojados 2 noites num dos lindissimos bungalows com vista sobre o mar.
Localização: Ponta Figo, São Tomé (coordenadas: 0°21’00.7″N ; 6°32’28.4″E)

Chez Teté

O Chez Teté foi o local escolhido para o jantar de despedida, logo antes de apanhar o avião para casa, e só me posso dar por feliz por isso. A comida é fantástica, o espaço é muito agradável e o staff muito simpático, especialmente a Dona Teresa, proprietária do restaurante! Está localizado na capital mas o acesso até lá não é fácil, pelo que convém ir perguntando o caminho para lá.
Localização: Av. 12 de julho, São Tomé (coordenadas: 0°19’41.6″N ; 6°44’26.8″E)

Xico’s Café

Localizado na capital, o Xico’s é um dos pontos de encontro habituais dos expatriados portugueses em São Tomé. Ao entrares é bastante visível a presença da cultura portuguesa: desde o grande ecrã a passar com regularidade jogos de futebol, ao menu recheado de petiscos portugueses e à Super Bock (que se encontra um pouco por toda a ilha).
Localização: Pç da Amizade e Solidariedade entre os Povos, 460A, São Tomé (coordenadas: 0°20’19.9″N ; 6°43’52.3″E)

O Paraíso dos Grelhados

Na marginal da capital de São Tomé encontras um contentor vermelho que guarda alguns dos melhores grelhados da ilha, não fosse o nome “O Paraíso dos Grelhados”. O serviço não é muito célere, especialmente quando se encontram mais do que 2 mesas ocupadas, mas vale a pena a espera, tanto pela vista como, claro, pela comida. O choco grelhado é especialmente bom!
Localização: Rua do Município, São Tomé (coordenadas: 0°20’35.4″N ; 6°43’30.2″E)

Roça de São João dos Angolares


A Roça de São João de Angolares tornou-se famosa com o programa de televisão “Na roça com os tachos” apresentado pelo cozinheiro João Carlos Silva. Esta roça é uma das poucas que hoje em dia é detida por particulares e não pelo Estado. O seu restaurante, gerido, claro, pelo próprio João Carlos Silva, oferece menus de degustação absolutamente deliciosos, com vistas fabulosas sobre a vegetação luxuriante que rodeia a Roça. 
Localização: São João dos Angolares, São Tomé (coordenadas: 0°08’21.2″N ; 6°38’51.6″E)

Miónga

O restaurante Miónga está, como a Roça de São João, localizado em São João dos Angolares. E tal como a Roça, também oferece menus de degustação muito muito bons. A vista sobre a Praia de São João dos Angolares é fenomenal e o staff é super simpático (mas isto é traço comum em São Tomé, na realidade).
Localização: São João dos Angolares, São Tomé (coordenadas °07’57.8″N ; 6°38’46.8″E)

Petisqueira Santola

Se te disser que tive de voltar ao restaurante Santola para repetir a experiência, já ficas com uma ideia de quanto eu gostei do sitio, não ficas? A Petisqueira Santola está localizada na povoação de Neves, no norte de São Tomé e tem como prato principal, como o nome indica, a Santola. Acabadinha de cozer, acompanhada por banana-pão frita, e absolutamente deliciosa. Ah e pede à Natália que te ensine a comer a santola como deve ser, ela tem um segredo delicioso!
Localização: Neves, São Tomé (coordenadas: 0°21’32.3″N ; 6°33’04.8″E)

⇑ Topo


O que visitar  em São Tomé 

Abaixo encontras um mapa e a respetiva lista dos principais pontos turísticos (assim como os restaurantes e hotéis referidos acima) de São Tomé e Príncipe para poderes planear e aproveitar ao máximo a tua estadia por lá.

Forte de São Sebastião (Museu Nacional de São Tomé e Principe)

O Forte de São Sebastião, também conhecido como o Museu Nacional de São Tomé e Principe, está localizado no extremo sul da baía de Ana Chaves, na capital de São Tomé. É um dos poucos edifícios que encontrei em São Tomé que se mantêm excecionalmente bem conservados. No seu interior encontras a história completa do arquipélago de São Tomé e Príncipe, sendo a visita acompanhada por um dos guias que lá se encontram. Vale a pena a visita!

Localização: Baía de Ana Chaves, São Tomé (coordenadas: 0°20’46.3″N 6°44’22.4″E) | BIlhete: €2 (com visita guiada)

Ver as tartarugas desovar

São Tomé e Principe

foto de C. Azevedo

A tartaruga é, hoje em dia, uma espécie muito protegida em São Tomé. A intensiva caça ao longo dos anos quer pela sua carne, quer pela sua carapaça usada para criar uma série de objetos, levou esta espécie quase à beira da extinção. O programa Tatô dedica-se à proteção, conservação e estudo das tartarugas em São Tomé e Principe, sendo hoje possível, graças a isso, observar o seu processo de desova durante o período de setembro a abril, com o acompanhamento de técnicos e guias especializados que não perturbam o animal. A praia de Inhame e a praia de Jalé, no sul de São Tomé, são algumas das melhores zonas para observar este acontecimento extraordinário.

Visitar as Cascatas

São Tomé e PrincipeAs cascatas fazem parte da paisagem de São Tomé. E duas das mais conhecidas são a Cascata de São Nicolau e a Cascata Nazaré. A primeira, chamada São Nicolau, localizada junto a uma estrada é a mais popular na ilha devido ao seu fácil acesso. A segunda, chamada Nazaré (na foto) encontra-se “perdida” no meio da selva. Pelo seu dificil acesso (para ires lá ter é preciso ter uma boa pick-up ou jeep ou estares preparada para uma caminhada jeitosa) não é muito visitada, mas vale tanto, tanto a pena uma visita. A entrada faz-se pela Roça Ponta Figo e aconselho-te a, caso não tenhas um guia, pedires a um miúdo em Ponta Figo que te leve até lá (em troca de umas dobras, claro).

Pico do Cão Grande

Quando começas a chegar ao sul de São Tomé, há um elemento que não escapa à vista de ninguém: o imponente Pico do Cão Grande. Uma estrutura de origem vulcânica com uma forma pontiaguda que se ergue imponente (a cerca de 663mt acima do nível do mar) no meio do Parque Natural de Ôbo.

Roças de São Tomé e Principe

É impensável ir a São Tomé e Príncipe e não visitar as antigas Roças de Cacau e Café que se encontram espalhadas pelas 2 ilhas que compõem o arquipélago. Hoje em dia, a maioria das Roças encontra-se em ruínas, sendo apenas uma memória do que foram outrora. Visitar as roças é no entanto uma experiência de sentimentos mistos: se por um lado ficamos impressionados com a grandiosidade dos edifícios, por outro é impossível não pensar na história de exploração humana de que foram palco. Apesar de a maioria se encontrar hoje em ruínas, a Roça Água Izé, Monte Café e São João, na ilha de São Tomé, são algumas das poucas que foram sendo recuperadas ao longo dos anos, e que hoje ainda se mantêm em funcionamento. As restantes são hoje o lar de várias centenas de pessoas que lá procuram abrigo, nem que seja entre paredes e tetos que a qualquer momento podem desaparecer.

Visitar a Fábrica de Chocolate Corallo

São Tomé e Principe

foto de Kerstin’s Chocolates

A Fábrica de chocolates Corallo é um ponto de visita quase obrigatória para qualquer apreciador de chocolates. E estes são, sem dúvida alguma, um dos melhores do mundo. Todas as 2as, 4as e 6as, às 16h30, a fábrica oferece uma sessão de apresentação de todos os chocolates que produzem (com prova, claaaro) e dos respetivos processos de fabrico. O nome dos chocolates tem origem no nome do seu fundador, o italiano Claudio Corallo com já 40 anos de experiência na produção de café e chocolate. No final da apresentação terás a oportunidade de comprar algumas caixinhas para ofereceres no regresso a casa. Faz sucesso, garanto!

Ilhéu das Rolas

São Tomé e PrincipeO Ilhéu das rolas, a cerca de 15 minutos de distância de barco das praias do sul de São Tomé, é um pequeno paraíso de praias de areia branca e águas cristalinas, localizado mesmo por cima da linha do Equador. Eu fiz apenas uma visita de 1 dia, mas se tiveres mais tempo de viagem, recomendo que fiques lá pelo menos uma noite. O único hotel do Ilhéu é o Pestana Equador (de 4 estrelas), por isso não terás de perder muito tempo a procurar alojamento.

Fazer mergulho e snorkelling

São Tomé e Principe

foto de FLAD

Se costumas incluir o snorkelling e o mergulho nas tuas viagens por países à beira mar, então esta vai ser mais uma atividade para ti em São Tomé. A ilha tem alguns locais fantásticos para a exploração da vida subaquática como o Ilhéu das rolas, o Ilhéu de Santana, Sete Pedras, Lagoa Azul, São Miguel, Kia e Diogo Vaz. O Diving Center São Tomé e Principe, localizado na Marginal em São Tomé, perto do aeroporto é um dos centros de mergulho através dos quais poderás descobrir a extraordinária vida marinha subaquática da ilha.

Percorrer uma das estradas mais bonitas do mundo

A estrada que segue em direção a Santa Catarina, no lado Oeste da ilha de São Tomé, deixou-me literalmente de boca aberta. Esta só pode ser uma das estradas mais bonitas do mundo (e sem dúvida a mais bonita que já percorri). A estrada, ladeada de um lado por uma vegetação luxuriante banhada pontualmente por pequenas cascatas, e do outro por uma série de palmeiras que pendem, arqueadas, para o mar, é extraordinariamente bonita. Não tem continuação após Santa Catarina, sendo sempre necessário voltar a fazê-la para trás, mas vale definitivamente a pena percorrê-la até não poder ir mais em frente.

Passar alguns dias na ilha do Príncipe

São Tomé e Principe

foto de São Tomé Choice

Não cheguei a ter tempo para visitar o Príncipe, mas todos os relatos de quem já lá esteve são os mais positivos. Apesar de a Ilha do Príncipe ser consideravelmente mais pequena que a de São Tomé, o comentário “Ainda mais bonito que São Tomé” é muito frequente. Um mergulho em praias dignas de postal como a Praia Banana (ou Praia das Bananas), uma visita à Roça Sundy ou à Roça Terreiro Velho (de onde vem o cacau usado nos chocolates Corallo) são atividades imperdíveis na ilha do Príncipe. O Bom Bom Resort ou a Roça Belo Monte Hotel são 2 dos hotéis que se encontram na ilha e que poderão ser uma boa opção de alojamento. A STP Airways tem voos diários diretos entre as duas ilhas que rondam os €150 ida e volta.

Passar o dia no Club Santana

O Club Santana é um hotel composto por bungalows, junto ao Ilhéu de Santana na costa Este de São Tomé. Tem acesso a uma praia privativa de águas mornas e transparentes, uma infinity pool, espreguiçadeiras e um bar onde podes almoçar (sem pressas, muito leve-leve…). E não precisas de ficar alojada no hotel para poder usufruir de um dia ou uma tarde no Club. É-te dada uma pulseira que terás de usar durante toda a estadia no club, sendo os consumos debitados na conta associada à pulseira.

Padrão dos Descobrimentos

Em Monteforte, no norte da ilha de São Tomé, o Padrão dos Descobrimentos marca o local onde os navegadores portugueses João de Santarém, Pêro Escobar e João de Paiva desembarcaram pela primeira vez em 1470 em São Tomé.

Boca do Inferno

São Tomé e PrincipeA caminho do sul, encontra-se a versão Sãotomense da Boca do Inferno que ganhou o seu nome devido à forma violenta como as ondas batem nas rochas naquele ponto. Ao local está ainda associada uma lenda muito antiga que dizia que o antigo governador da Roça Água Izé, de tanta maldade que tinha, quando ía de férias para Portugal, montava no seu cavalo e atirava-se para a Boca do Inferno, saindo diretamente na Boca do Inferno em Cascais.

Lagoa Azul

Quem passa pela estrada a caminho de Neves, depois de Guadalupe, no norte de São Tomé, e olha para o lado direito, não consegue ficar indiferente às águas azul-turquesa da praia da Lagoa Azul. A praia em si não tem muita areia, mas as suas águas são irresistíveis para um bom mergulho ou para fazer snorkelling.

Visitar a Casa Museu Almada Negreiros

São Tomé e Principe

foto de TripAdvisor

A Casa Museu Almada Negreiros, localizada no centro da ilha de São Tomé, na Roça Saudade, surgiu da ideia e da iniciativa de um jovem Guia turístico chamado Joaquim Cabangala Victor. As ruínas da casa onde nasceu Almada Negreiros em 1893 foram totalmente recuperadas sendo hoje um museu inteiramente dedicado ao artista de origem Sãotomense, composto por objetos recuperados das ruínas e outros gentimente cedidos por visitantes de Portugal. No local existe ainda um restaurante com uma vista fantástica.

⇑ Topo

Nascida e criada em Lisboa, Portugal, mas apaixonada pelo mundo. Adoro partilhar as minhas histórias de viagem, fotografias e videos e aconselhar e inspirar quem partilha a mesma paixão pelas viagens!