Chegada a Vang Vieng, dirigi-me à Guesthouse onde a Marjoleine e o Salvador já estavam alojados. Não tinham mais quartos single disponíveis, pelo que teria de ficar no quarto da Leine que tinha camas twin. Nao estava a conseguir falar com ela para confirmar se podia ou não partilhar quarto com ela. Mas sem problema, o tipo da guesthouse, após a minha descrição da Leine (rapariga alta, loura), não teve quaisquer problemas em deixar-me entrar no quarto mesmo sem o ok dela. Estas regras de segurança deixam um bocadinho a desejar… Mas o que interessa é que lá pude entrar, tomar um bom banho e ir ter com eles a um bar, o Kangaroo.

Esta foi a primeira de algumas noites super animadas aqui em Vang Vieng.
Vang Vieng é a capital da loucura backpacker no Laos. Era um destino que eu já tinha riscado inicialmente do meu roteiro porque não me identifico muito com este tipo de sítio. A diversão é levada ao limite, a cidade está repleta de bares especialmente dedicados aos backpackers, e não faltam actividades por aí para ocupar os dias de quem decidiu não passar os limites na noite anterior. Escalada, zip lining, Tours na zona, kayaking, etc.
E claro, a grande atração: o tubing.
Existem uma série de locais aqui em Vang Vieng que organizam estas excursões. Eis no que consiste o tubing: mete-se uma série de pessoas dentro duma carrinha e carrega-se a carrinha com grandes bóias de borracha. Chegados ao destino (um ponto mais alto do rio), é hora de se meterem em cima da boia, e começarem a descida do rio, empurrados pela corrente. Pelo caminho, nas margens, existem uma série de bares que “pescam” os tubes (as bóias), lançando cordas com garrafas na ponta a que se podem agarrar e ser puxados para o bar. Cada bar tem as suas actividades para poder atrair o máximo número de pessoas possível. Quando nos fartamos de um bar basta agarrarmos no tube novamente e seguir rio abaixo até ao próximo bar.
Na verdade hoje em dia o número de bares é bastante reduzido, tendo o Governo, há uns anos atrás fechado totalmente o rio devido ao número de casualidades que se verificavam todos os anos. (Rio + bebida + miúdos inconscientes = acidentes graves)
O rio foi entretanto aberto mas o número de bares é bastante reduzido.
Vang Vieng é definitivamente a capital da loucura. Não faz propriamente o meu estilo, mas que me tenho divertido muuuuito, lá isso tenho. 🙂
Até ja!
 





Nascida e criada em Lisboa, Portugal, mas apaixonada pelo mundo. Adoro partilhar as minhas histórias de viagem, fotografias e videos e aconselhar e inspirar quem partilha a mesma paixão pelas viagens!