Três dias antes da data da partida para o Peru, deparo-me com uma notícia que aparentemente tinha estado a passar nas notícias já há algum tempo, mas que me tinha passado completamente ao lado: o país estava a atravessar uma das maiores chuvadas dos últimos anos. Um elevado número de regiões estava a ser afetado por grandes inundações e deslizamentos de terra que tinham já causado a morte a cerca de 80 pessoas.

Bolas. Tinha acabado de planear a viagem praticamente toda ao detalhe na noite anterior e agora levava com aquela notícia. E agora?? Vou ou não vou? Arrisco…? Tendo em conta o sensacionalismo habitual dos media, decidi falar com quem estava a viver a situação de perto. Entrei em contacto com uma pessoa que está a viver em Lima, que me tranquilizou dizendo que as piores situações registavam-se no Norte do país. Eu podia ficar descansada uma vez que o meu plano de viagem se cingia essencialmente ao Sul. Decidi falar também com a PeruHop, a companhia de autocarros com quem eu vou fazer grande parte da viagem que me informou que a rota não tinha sido alterada até ao momento. Ok… de qualquer forma como tinha comprado um voo não reembolsável bem que poderia dizer adeus ao dinheiro. Vamos lá então! Viagem “back on”.

No dia da viagem (hoje), tendo em conta que o voo partia às 5h e eu teria de estar no aeroporto de Lisboa às 3h, nem valeu a pena fechar a pestana, por isso lá segui eu com um olho aberto e o outro fechado (sendo que o aberto só assim estava graças às borboletas no estômago que me deixavam acordada!).

Neste momento escrevo-vos do aeroporto de Schiphol em Amsterdão, onde faço uma escala relativamente curta antes de embarcar no voo de 12 horas (sim… 12!!!) até Lima, capital do Peru. Pelo caminho até cá fui recebendo uns sinais do destino de que isto vai tudo correr bem: mesmo ao meu lado no balcão de check-in em Lisboa às 3h30 encontro um velho amigo dos meus pais com quem acabo por ir a conversar o caminho todo, até seguirmos para portas de embarque diferentes; parece que todas as pessoas com quem me cruzo são especialmente simpáticas (entrei num universo paralelo, só pode); numa das livrarias aqui do aeroporto encontro um livro chamado “The High Mountains of Portugal, do Yann Martel (o mesmo autor do livro “A Vida de Pi”) que será a minha companhia fiel durante a viagem, e o homem do controle de passaporte, ao pegar no meu passaporte olha para mim e, após uma pequena pausa, começa a falar português comigo com um sotaque holandês serrado. Desatei a rir claro, não estava nada à espera!

Bem, e entretanto falta-me uma hora para o meu próximo voo. Tempo suficiente para publicar esta crónica, e ainda trabalhar um bocadinho com acesso à internet.

Peru

Nas próximas 3 semanas podem contar com mais crónicas, fotos e videos da minha viagem pelo Peru. O roteiro: Lima – Paracas – Huacachina – Nazca – Arequipa – Puno – Cusco – Machu Picchu – Puerto Maldonado (selva). Para não perderem pitada podem fazer o seguinte: 1) subscrever o blog para receberem sempre por email os artigos que vou publicando em primeira mão (vejam a caixa de subscrição na sidebar do lado direito) e 2) fazer like e ativar as notificações na página de Facebook do Joland!

Já sabem que conto com a vossa companhia, certo? 🙂

Até já!

Nascida e criada em Lisboa, Portugal, mas apaixonada pelo mundo. Adoro partilhar as minhas histórias de viagem, fotografias e videos e aconselhar e inspirar quem partilha a mesma paixão pelas viagens!